Pages

quinta-feira, 21 de março de 2013

Brasil abre 2 a 0, mas permite empate italiano e segue com jejum

O Brasil perdeu nesta quinta-feira uma grande chance de acabar com o jejum de mais de três anos sem vitórias sobre equipes do primeiro escalão do futebol mundial. Depois de abrir dois gols de vantagem no primeiro tempo, a equipe de Luiz Felipe Scolari sofreu pressão da Itália e empatou em 2 a 2 o amistoso disputado em Genebra, na Suíça.

O resultado, ironicamente, acabou punindo a seleção italiana, que esteve muito melhor em campo e poderia ter obtido sua primeira vitória em mais de 30 anos contra o Brasil não fosse uma noite inspirada do goleiro Júlio Cesar. Na segunda-feira, a seleção enfrenta a Rússia, em Londres.

Desde a noite de 14 de novembro de 2009, quando um gol de Nilmar deu ao Brasil a vitória contra os ingleses numa partida disputada em Doha, no Catar, a seleção não vence times de elite. No período o time fracassou contra Argentina, Alemanha, França, Holanda e Inglaterra.

O Brasil ter ido para o vestiário com uma vantagem de dois gols no placar foi uma questão de oportunismo isolado e sorte. A Itália começou o jogo muito melhor, concentrando as ações no lado direito da defesa adversária, explorando especificamente espaços deixados por David Luiz. Já levou perigo aos dois minutos, num lançamento que deixou Giaccherini entrar nas costas do zagueiro do Chelsea e chutar para uma defesa de reflexo de Júlio César.

A seleção respondeu com Neymar, que aos quatro minutos chutou em cima de Buffon em vez de passar para Hulk, que corria livre pelo lado direito da área italiana. Logo, porém, a Azzurra tomou controle do jogo, dominando o ataque brasileiro e apostando no vigor do atacante Balotelli. Aos seis minutos, o jogador do Milan foi o alvo de um lançamento de Pirlo e, dentro da área, obrigou Júlio César a salvar com o pé esquerdo. Aos 13, depois de passear pela intermediária brasileira, levou perigo num chute de longe.

Foi apenas aos 17 minutos que a seleção conseguiu dar outro chute a gol, numa cobrança de falta de Fernando. Pirlo lançou Osvaldo aos 21 e Julio César precisou se jogar aos pés do atacante para abafar o chute. Sem encontrar espaços e errando muitos passes, o Brasil teve em um chutão para a frente de David Luiz a mostra da falta de inspiração que assolava a equipe.


Rede News Bahia

0 comentários:

Postar um comentário