Pages

terça-feira, 16 de julho de 2013

Em um mês, intenção de voto em Dilma cai 19 pontos, diz pesquisa CNT/MDA

Enlarge font
image Dilma, com Temer, precisa manter a aliança com o PMDB
A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou, nesta terça-feira (16), os resultados da 114ª pesquisa em parceria com o instituto MDA.

Segundo a pesquisa, se as eleições presidenciais de 2014 fossem hoje, a presidente Dilma Rousseff teria 33,4% dos votos, contra 20,7% de Marina Silva (Rede Sustentabilidade); 15,2% do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e 7,4% do governador Eduardo Campos (PSB-PE). A queda de Dilma em relação à pesquisa anterior é de 19,4 pontos percentuais e a disputa iria para o segundo turno.

Na pesquisa anterior, de junho, a presidente venceria ainda no primeiro turno. No levantamento anterior, Dilma tinha 52,8% das intenções de voto, contra 17% de Aécio, que também caiu; 12,5% de Marina e 3,7% de Eduardo Campos. 

Os levantamentos das séries nº 112, 113 e 114 da Pesquisa CNT/MDA dão sequência às pesquisas anteriores: CNT/Vox Populi (1 a 28) e CNT/Sensus (29 a 111). Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 134 municípios de 20 Estados, das cinco regiões, entre os dias 7 e 10 de julho de 2013. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Em pouco menos de três semanas, é a segunda pesquisa a detectar queda na popularidade e nas intenções de voto em Dilma. No final de junho, pesquisa Datafolha mostrou que as intenções de voto em Dilma haviam diminuído 21 pontos percentuais. No cenário com Marina Silva, Aécio Neves e Eduardo Campos, a petista tinha 51% das intenções de voto nos dias 6 e 7 de junho, e 30% no final do mês.  Nesse mesmo cenário, Marina Silva subiu de 16% para 23%. Aécio Neves foi de 14% para 17%. Campos oscilou de 6% para 7%.

Segundo os analistas da MDA, é possível constatar que Marina e Campos foram os pré-candidatos que mais se beneficiaram eleitoralmente com a onda de protestos pelo país. O instituto chama a atenção para o salto de eleitores que colocam brancos e nulos como sua opção de voto: eram 8,4% em junho e agora são 17,9%.

Manifestações e popularidade

A pesquisa mostra que a avaliação positiva do governo Dilma desabou de 54,2% em junho para 31,3% em julho. Os pesquisadores mostram que 38,7% consideram o governo Dilma regular (este índice era de 35,6% em junho) e 29,5% têm avaliação negativa - este percentual era de apenas 9% em junho.

Já a aprovação pessoal de Dilma caiu de 73,7% em junho para 49,3% em julho, segundo a pesquisa.

O Datafolha também detectou que a avaliação positiva do governo da petista caiu 27 pontos em três semanas. De acordo com a pesquisa, 84,3% da população aprova as manifestações que têm ocorrido no país desde junho.  (Informações do G1/Brasília). 

Mais Informações: Interior da Bahia

0 comentários:

Postar um comentário