Pages

domingo, 8 de setembro de 2013

Projeto para vetar transmissões de MMA na TV gera polêmica

Um Projeto de Lei apresentado pelo deputado José Mentor (PT-SP), a Câmara dos Deputados, pretende proibir lutas violentas na TV Aberta e TV a Cabo no Brasil. A restrição também se aplicaria a todas as lutas não olímpicas consideradas violentas e salvaria apenas as manifestações culturais, como a capoeira. O PL estabelece multa de R$ 150 mil a todas as emissoras que exibirem as lutas.

Para o deputado, a ideia é coibir a “banalização da violência nos canais da televisão brasileira”, que hoje chegaria ao “cúmulo de transmitir violentas lutas até mesmo em horários comuns às crianças e adolescentes com o fito de saciar a sana de alguns, quase sempre em busca de fama e dinheiro fácil”.

O projeto é de 2009, quando a Rede TV transmitia, mas com a entrada da Rede Globo no octógono, a luta ganhou importância e gerou toda essa polêmica. O clima no ring esquentou com as declarações do autor do projeto que classificou a luta como “rinha humana”.

As estrelas e os adeptos do MMA saíram em defesa da luta. O professor da equipe Gracie Barra Feira de Santana, Samuel Carvalho, diz que o deputado pouco conhece sobre Artes Marciais. De acordo com ele, a violência maior está impregnada nas mídias de nosso país, que invadem as casas dos brasileiros, onde a maior parte de sua programação só dão espaço para os aspectos ruins de nossa sociedade, nas exibições de novelas na qual o erotismo é banalizado em todos os horários.

Samuel Carvalho ainda enfatizou a questão dos riscos existentes em todas as modalidades esportivas. ‘’A maioria dos esportes tem possibilidades de contusão. No boxe e no MMA, por exemplo, este contato é mais direto. Porém, existe todo um aparato de médicos e árbitros competentes para avaliar. Além disso, as lutas hoje têm atuado de forma direta com direitos humanos e na inclusão social. O que é pior, dois atletas lutando ou um piloto morrendo queimado dentro de um carro de F1?”, questiona.

Além de praticantes do esporte, o telespectador, como personagem central da história também questiona o projeto. O socioeducador, Anderson Pereira (Andinho), afirma que o esporte é regulamentado e tem contribuído de forma significante para economia e lazer no país.

“Particularmente não concordo com este projeto de lei, até pelo fato questionado que é a agressividade exacerbada vista nestas lutas. Mas ao mesmo tempo o MMA virou uma "febre" nacional e já pode ser considerada uma atividade esportiva, uma vez que detêm de regras e procedimentos para que o mesmo seja praticado. Desta feita, não vejo problema algum que as lutas sejam televisionadas, até pelo fato de que existe o nível de censura para as tvs abertas, e nela, as lutas se encaixam perfeitamente pois só são transmitidas nos horários "apropriados" para os maiores de 18 anos”, explica.

Para o projeto de José Mentor se tornar lei é preciso ser aprovado na Câmara, no Senado e, depois, receber a sanção da presidente da República


Rede News Bahia

0 comentários:

Postar um comentário