Pages

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Feira: Mãe defende médico cubano afastado por receitar alta dose de medicamento

A mãe do menino de 1 ano e dois meses que foi medicado com uma alta dose de dipirona no Posto de Saúde da Família do bairro Viveiros, por um médico cubano, afirmou ao Acorda Cidade que o profissional explicou corretamente a quantidade de gotas da substância que a criança deveria tomar, mas se equivocou ao prescrever a dosagem na receita.

Segundo Gilmara dos Santos Santos, o médico cubano Izoel Goméz deu um bom atendimento à criança e deu, no momento da consulta, uma dose de dipirona injetável à criança. Ela afirmou que o médico explicou que a quantidade de gotas a ser tomada pelo menino dependia do peso corporal dele.

“Ele não falou que era pra dar 40 gotas, ele só prescreveu. Ele falou que era por quilo”, afirmou a mãe do menino, acrescentando que a dosagem seria de 10 gotas, uma vez que o filho tem 10,2 kg.

Entenda o caso

O médico cubano Izoel Goméz foi afastado de suas atividades após ser denunciado pelo vereador José Carneiro (PSL), que acusou o profissional de receitar uma alta dosagem de dipirona a uma criança que estava com febre no Posto de Saúde da Família (PSF), do bairro Viveiros.

De acordo com a secretária de Saúde do município, Denise Mascarenhas, a secretaria vai investigar a denúncia junto à equipe médica do PSF. Ela explicou também que o remédio prescrito pelo médico foi uma dose com 40 gotas de dipirona sódica, utilizada como analgésico e antitérmico, em pacientes que apresentam dor e febre. No entanto, segundo Denise, a prescrição deste tipo de medicamento para crianças deve levar em consideração o peso corporal, e que o menino não chegou a tomar a dose descrita na receita.

Feira de Santana recebeu doze profissionais do programa Mais Médicos. Eles passaram por treinamento. No entanto, por conta do ocorrido, Denise Mascarenhas afirmou que serão retomados os treinamentos no próximo final de semana com a Assistência Farmacêutica.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade.

0 comentários:

Postar um comentário