Pages

terça-feira, 15 de abril de 2014

Superlotação e suspensão de visitas motivaram rebelião


A rebelião ocorrida nesta segunda-feira, 14, no presídio Regional Juiz Manoel Barbosa de Souza, em Tobias Barreto, foi motivada pela insatisfação dos detentos com a superlotação e a suspensão das visitas [por conta da greve dos agentes prisionais] no local. Não houve fugas, mas a rebelião, que teve início na manhã e terminou no final da tarde, terminou com um detento morto.

Segundo o diretor do Departamento Penitenciário de Sergipe (Desipe), Agenildo Machado, as reivindicações e os problemas levantados pelos presos são antigos. "Eles afirmam que a superlotação e a greve dos agentes - que impossibilita as visitas - foram os motivos que os levaram a cometer esta rebelião", disse o diretor. O presídio de Tobias Barreto tem a capacidade para abrigar 380, porém, hoje ele conta com 538 detentos.
O Capitão Brito, da Polícia Militar, explica que a situação do presídio é de total destruição. "Quando chegamos dentro do presídio, encontramos muitas salas destruídas e um estado de caos. Só tinham três agentes no momento da rebelião. Contamos com o apoio dos policiais do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (GOPE) para conter os presos", afirma.
O capitão explica que a identidade do detento cujo corpo foi encontrado carbonizado ainda não foi descoberta. "Um presidiário foi morto carbonizado. Há informações que ele foi amarrado em um colchão e depois teve seu corpo queimado. Ainda não identificamos a identidade dele", revela.
Na porta do presidiário, um sentimento de angústia abatia as mulheres que esperavam por respostas sobre os maridos e filhos. Damiana Silva era é uma delas. "Estou aqui desde cedo esperando uma resposta sobre o meu filho. Precisamos saber se ele vai ser transferido, se houve alguma coisa com ele ou com os demais. Daqui não vamos nos retirar até sair uma resposta", afirma Damiana.
O Capitão Brito garantiu que policiais da Choque passarão a noite auxiliando na segurança do presídio. Além disso, ele ressaltou que os presos foram remanejados para os pavilhões e que até esta terça-feira, 15, nenhum preso será transferido.
Fotos: Jornal da Sergipe

0 comentários:

Postar um comentário