Pages

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Curso de masturbação terá 2ª edição devido a grande procura; veja o que rolou

Por Tribuna da Bahia (Redação - Monalisa Leal)
Um grupo de mulheres em Salvador reservou  a noite desta quinta-feira (10/09) para um curso um tanto quanto diferente. Nada de beleza, estética ou moda: elas se reuniram para falar sobre masturbação feminina – um tabu ainda vigente. O grupo é formado por mulheres com idade entre 23 e 35 anos.
 
Visivelmente curiosas, as mulheres foram pontuais e às 20h - horário previsto para o início do curso -faltavam somente 2 inscritas.
 
De acordo com uma das responsáveis pelo encontro, Aline Castelo Branco,  jornalista e educadora sexual, a ideia do curso é empoderar as mulheres para que as mesmas conheçam seu corpo. “Vocês precisam ter esse poder de controlar o prazer, tanto na hora do sexo com seu parceiro (a) quanto em um momento seu. O curso vai ajudar para que vocês melhorem o desempenho sexual com conhecimento e treinamento”, destacou.
 
O curso, desenvolvido pelo Mundo da Intimidade, começou de forma bem informal, com perguntas, respostas e curiosidades sobre o assunto. Imagens e cenas do primeiro vibrador, criado no século XIX chamaram a atenção no início do bate-papo. E pasmem: o vibrador parecia mesmo uma furadeira pelo seu formato e tamanho(veja foto abaixo). Naquela época, no entanto, o vibrador era usado em consultórios médicos para melhorar a histeria feminina. Foi a partir daí que perceberam o lado positivo da masturbação, com a sensação de prazer e bem estar.
 
A ginecologista e sexóloga Karla Kalil foi uma das estrelas da noite. A médica falou sobre a importância da masturbação com dicas de posições, técnicas e objetos que podem ser usados na prática do auto prazer. 
 
E como a procura pelo curso foi grande, a segunda edição já está marcada para este sábado (12/09). Com o sucesso em Salvador, o Mundo da Intimidade está organizando outras palestras com novos temas até o mês de dezembro. Segundo Aline Castelo Branco, os próximos cursos serão sobre pompoarismo, sexualidade da mulher mastectomizada e sexo anal.

0 comentários:

Postar um comentário