Pages

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Nilo garante que não vai pedir suplementação; ‘Estou cortando na pele’, assegura


Nilo garante que não vai pedir suplementação; ‘Estou cortando na pele’, assegura
Foto: Alexandre Galvão / Bahia Notícias
Diferente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a Assembleia Legislativa (AL-BA) não deve requerer recursos extras do governo do estado para finalizar o exercício de 2015. Quem garante é o presidente do legislativo, deputado Marcelo Nilo (PDT), que assegurou estar “cortando na pele” para evitar a suplementação. “Estou cortando gastos. Não vou pedir suplementação”, afirmou Nilo nesta segunda-feira (5). No último sábado (3), o assessor da presidência do TJ-BA, juiz Anderson Bastos, apontou que a Corte não deve ter recursos para cumprir com as obrigações a partir do mês de novembro – incluindo os vencimentos de dezembro e o 13º salário dos funcionários. Segundo Nilo, foi necessária uma economia de R$ 5 milhões por mês para que a Assembleia não encerrasse o ano com a cuia na mão. “Não fiz Assembleia Itinerante, reduzi os livros que ia lançar este ano, reduzi propaganda que ia fazer nas rádios, cortei 10% dos gastos da Fundação Paulo Jackson, congelei qualquer contratação, limitei telefone para os deputados”, elencou o presidente. Até mesmo os funcionários demitidos da AL-BA saíram no prejuízo. A gratificação por tempo de serviço (GTS), equivalente a um abono para demissionários, foi suspensa. “Deixei de pagar GTS. Só pago agora em janeiro”, sugeriu o pedetista. 

Bahia Notícias

0 comentários:

Postar um comentário