Pages

domingo, 27 de março de 2016

Bombeiros resgatam suspostos restos mortais em cisterna no bairro Liberdade

Ney Silva e Andrea Trindade

Com o apoio do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, foi resgatado por volta do meio-dia deste domingo (27) supostos restos mortais de uma pessoa em uma cisterna, em um local conhecido como Chácara Jundiá, no bairro Liberdade, em Feira de Santana.
O corpo foi localizado pela comerciária Edna Souza Ferreira Gonzaga, mãe de Pedro Gonzaga Neto, 21 anos, que teve a cabeça encontrada em uma barraca na feira livre da Avenida 1, no conjunto Feira VII, na manha de sábado (26).

A mãe acredita que os restos mortais são do filho dela por causa de dois pertences encontrados dentro da cisterna: um par de tênis e um skate – que Edna Gonzaga afirma ser do filho.

Para retirar os restos mortais os bombeiros tiveram que armar um tripé de resgate e usar cilindros de gás para descer à cisterna que tem aproximadamente quatro metros de profundidade.

Um bombeiro militar desceu duas vezes. Na primeira retirou o skate que tinha manchas de sangue, e na segunda recolheu usando uma sacola, uma espécie de líquido grosso com larvas, que tudo indicar ser os restos mortais de uma pessoa. Não tinha parte óssea no material recolhido e ao que tudo indica, – se for mesmo corpo de um ser humano, supõe-se que foi cortado em pequenos pedaços e queimado.

O cabo Marivaldo, do 2º Grupamento de Polícia Militar (GBM), informou que a guarnição que trabalhou no resgate foi composta por ele e mais quatro bombeiros, além da Polícia Militar. “Fizemos esta operação de resgate, demos uma reposta à sociedade e tivemos êxito na ocorrência. Encontramos um par de tênis, um skate e provavelmente os restos mortais de uma pessoa”, afirmou.

A mãe de Pedro Neto, disse ao Acorda Cidade que o filho desapareceu na última sexta-feira (25) para andar de skate da Praça de Alimentação e até então não tinha voltado. “Depois que a cabeça foi localizada no sábado, neste domingo eu e minhas amigas rodamos em vários locais no Feira VII, fomos até o Parque da Cidade e localizamos esta chácara próximo ao Condomínio Rio de Contas. Aqui encontramos estes restos mortais, que provavelmente sejam do meu filho. Tenho certeza que é o corpo do meu filho”, ressaltou.

Edna Gonzaga informou ainda que tem quase certeza de que o filho foi esquartejado e jogado na cisterna. Os pertences e o material recolhido foram encaminhados para o Depa/rtamento de Polícia Técnica (DPT).

Fotos: Ney Silva/Acorda Cidade

0 comentários:

Postar um comentário